Um brinde a amizade

Sou carioca de Goa, de Angola e da Guiné

Cabo Verde, Moçambique, Timor-Leste e São Tomé

Macau, Portugal mas vim pela Galicia

Que a vida é uma delícia temperada nesse sal

Cabral descobriu muito menos do que eu

Os meus descobrimentos não estão nos museus

Nem nos livros de História mas estão na minha memória

E na dos meus amigos que navegam comigo

 

Há coisas na vida que não se esquecem

Os amigos são aqueles que permanecem

Relógio não tens asas mas o Tempo voa

Lembro-me desse show no pavilhão em Lisboa

Cantámos, curtimos, ficámos roucos

mil novecentos e noventa e poucos

São fotos gravadas no coração

Eu brindo com sumo mas conta a intenção porque...

 

Mano o Tempo voa

Vem mais um copo

Tira uma foto

Um abraço para matar a saudade

 

Mano o Tempo voa

Vem mais um copo

Tira uma fota

Esse som é um brinde à Amizade

 

Te conheci a gente ainda era moleque

Um ideal em comum em uma roda de rap

O meu chapéu na cabeça, o teu boné pra trás

Muitas ideias na mente, quanto tempo isso faz!

O tempo voa... e a gente nem vê

E tanta coisa acontece e deixa de acontecer

Se navegar é preciso, se é preciso viver

A amizade é a bússola para eu não me perder

Com amigos como você, eu sei que eu posso contar

Sempre ao meu lado mesmo estando do outro lado do mar

Por isso eu quero brindar à nossa boa amizade

E a todos os meus amigos que são de verdade

 

Refrão

 

Sou palavra, melodia, sou de onde tu fores

Lusofonia de todas as cores

Sou Tuga do Mindelo, angolano de Bissau

São-tomense de Maputo, brasileiro de Portugal

Língua Portuguesa com sotaques diferentes

As nossas gentes no fundo são todas parentes

E na diversidade vamos convergindo

Quem vem em paz é sempre bem-vindo

Há sempre espaço para mais um

E só vendo as diferenças percebemos o comum

Que um estranho é um amigo que não conhecemos

Amigo é a família que nós escolhemos

E mesmo ao longe, o sentimento perdura

Enquanto houver música ninguém nos segura

Passado,presente, o Tempo passa veloz

Venha o futuro , cheio de coisas boas para nós...

 

Refrão

 

Conheço bem a solidão pois sou um nômade

Mas sei também que a vida é uma soma de...

Instantes, minutos, que podem ser eternos

Olhares, sorrisos e abraços fraternos

O Inferno eu não sei mas o Céu são os outros

E para eu entrar no céu só não posso estar morto

Então eu sinto o coração das outras pessoas

E assim eu sei que eu 'tou vivo e que eu não 'tou vivo à toa

Quem é vivo aparece, então eu sempre apareço

E conhecendo um estranho, eu também me conheço

Anota o meu endereço que ele agora é o nosso

Não tenho tudo que quero mas faço tudo que posso

Para dividir o que eu tenho e multiplicar o que eu ganho

E conhecendo um amigo, eu fico menos estranho

Anota o meu endereço que ele agora é o teu

Não sou o dono da casa mas Ele nos acolheu.

 

Ficha Técnica:

Produzido por AC para Mandachuva Lda

Bateria : André Silva

Baixo: Hugo Fernandes

Guitarra e TalkBox: Pedro Carvalho

Piano Acústico: Tiago Machado

Scratch: DJ Bernas

Coros: César Rosário

Voz Convidada: Gabriel O Pensador

Gravado no Andinos Studios por Elton Sousa e Jorge Cervantes e no Neanderthal Studios, Rio De Janeiro por Maurício Pacheco

Misturado por Jorge Cervantes e AC no Andinos Studios

Gabriel O Pensador gentilmente cedido por Hip Hop Brasil