Anda Ca ao Papa

"Anda Cá Ao Papá"

Era sábado à noite, nem vontade tinha para comer
Fechei-me no meu quarto, pus um filme p'ra m'entreter
Não tinha sono... Bateram à porta
Os meus dreads surgiram p'ra irmos dar uma kikorta
Tanto insistiram que acabei por ir, vou-me vestir
Pensando bem, pa'tar assim, mais vale sair
Cangámos uma tarifa era quase uma hora
Pensei qu'a disco ia ‘tar vazia, mas ‘tava a deitar por fora
Entrei, c'o meu ponto, palito na boca, é aquela base
Abanquei-me num canto sem dizer uma única frase
Bué de damas e mais damas por todo o lado
Vestido apertado, mas não ‘tou interessado
No meio de tanta gente ‘tava tão sózinho
Levantei-me num coro. Eh lá!!! Vi-te no meu caminho
Corpo perfeito, alta mulata de caracóis
Pernas de sonho, Yes Baby! G'andas faróis
Olhei-te bem nos olhos, mas ‘tavas acompanhada
Sorriste sem dar estrilho pa' não seres apanhada
Mas apanhei-te, com'é, desmarca lá o teu namoro
Deixa-me ser o teu pirata, pa'tu seres o meu tesouro
Mas ele pegou-te no braço, levou-te para longe de mim
Quando te vi, bati mal e sei que também ficaste assim
Fingi'tar nas calmas, mas puseste-me à toa
Quem te mandou ser tão boa
Agora não sei o que vou fazer
Tenho que arranjar maneira de te conhecer

REFRÃO

Anda cá, vem ao papá
I want you to be my baby
Anda cá, vem ao papá
I want you to be my lady

‘Tavas no bar encostada a beber Pisang Ambon
Aproximei-me e disse "baza dançar esse som"
O teu dread ‘tava no WC
‘Bora pró cantinho qu'ele lá não nos vê
Hesitaste, por instantes pensei que não me querias
Mas quando me deste a mão, vi que ‘tava nos meus dias
Apertei-te, senti o teu coração a bater
O beijo quas'acontecer
Os nossos lábios tão perto,mas não podia ser ali
Embora pensasse nisso desde o momento em que te vi
"Bora lá fora, aqui dentro ‘ta calor"
E pelo caminho imaginava o teu sabor
Saíste primeiro, ‘pa não dar estrilho fui atrás
S'o teu dread surgir das-lhe a dica que 'tas mal disposta
Vais apanhar um ar, s'ele desconfiar
Diz-lhe que te espere no bar

REFRÃO

Não démos estrilho, saímos eu e tu, moi et toi
Quero que sejas mamã, anda cá ao papá
Olha essa escada escura, com'é... ‘bora até lá
Deitei-te no chão, mas imaginei-te num sofá
Ah! Uh! Esse teu corpinho
Mordi-te a orelha, enchi-te de carinho
Ouvi-te gemer como uma porta entreaberta
Medo de seres descoberta, deixou-t'os sentidos alerta
Explorei o teu corpo, com'um patrão explora um empregado
Descobri pontos fracos em ti por todo o lado
Quieto não pude ficar quando me tocaste daquela maneira
Tomaste o controlo, passaste a fronteira
Tu foste a lenha da minha fogueira, à terceira
Disseste qu'o teu namorado
Devia ‘tar à tua procura preocupado
Arranjaste a saia, pintast'os lábios num retrovisor
Mas não quis que te fosses embora sem dizer qu'adorei o teu sabor
Abraçaste-me, o teu olhar disse tudo...
Contigo senti-me veludo
Foste andando em direcção à discoteca
Uns minutos depois fui também a pensar em ti boneca
Não vou contar a ninguém o nosso pecado
De repente vi-te a sorrir abraçada ao teu namorado
Eu sabia o porquê de tanta alegria
Mandei-te um beijo discreto e despedi-me até um dia...

REFRÃO